Com o fim da padronização imposta pelas grandes redes hoteleiras dada a pressão gerada pela "Guest Experience", surgiram novas tendências que, no fundo, significa um resgate da personalização.

Hoje em dia, os hóspedes do hotel têm expectativas mais elevadas do que nunca. Participar de experiências sensoriais nunca foi tão importante, mesmo que seja por apenas um pernoite. Estas experiências sensoriais passam pela percepção de materiais sofisticados e texturas exóticas, utilizando os cinco sentidos, como vimos no escopo da concorrência internacional para os projetos AC Marriott para a América Latina, que vencemos no ano passado. Tudo isso com a sensação de “casa”.

Com foco prioritário na experiência, aqui estão 11 tendências relacionadas ao design e que consideramos interessantes a partir de 2019, embora venham surgindo paulatinamente nos últimos 2 anos.

 

Tendência 1: Experiências ainda mais personalizadas

Os hotéis terão que se concentrar na criação de experiências memoráveis ​​para seus hóspedes, ao invés de simplesmente oferecer comodidades e serviços. Eles aprenderão a ser criativos na adaptação de suas experiências às preferências dos hóspedes, inspirando-se nos hotéis-boutique e independente do padrão hoteleiro. Os hóspedes podem esperar saudações personalizadas e quartos de acordo com suas preferências, bem como produtos exclusivos com curadoria do hotel. Essas experiências, aliadas ao design do hotel, são fundamentais para cativar as gerações mais novas, principalmente os “millennials”, que ainda são a parcela demográfica que mais viaja no mundo. Nas próximas gerações, segundo nosso relatório “A Geração Z e a Hospitalidade”, a tendência é se manter esta busca pela experiência potencializando a questão da customização.

 

Tendência 2: De Casa pra “Casa”

Para não se perder a concorrência com o AirBNB, cada vez mais os hotéis passarão a conter itens antes apenas presentes em apart-hotéis como cafeteiras e, em alguns casos, kitchenettes para o hóspede “long stay”. A tecnologia, com mais pontos de elétrica do que o convencional, deverá se tornar mandatória e oferecer uma conectividade de melhor qualidade do que as próprias residências dos hóspedes.

 

 Tendência 3: Estilo Eclético

Não é nenhuma novidade que a “padronização” já deixou de ser relevante na arquitetura hoteleira, bem como o uso das cores neutras como Fendi, bege ou cinza, cores predominantes bastante populares na última década. A ordem agora é “ser eclético” e colorido, independente do padrão do hotel. Um grande exemplo dessa visão é o Indigo do Lower East Side, em Nova York.

Da mesma forma, o uso de elementos regionais continuará a ser um trunfo para o sucesso e receptividade do hotel, sem contar a utilização de elementos “vintage”, que mexem ainda mais com a memória afetiva do hóspede.

Mas atenção: ter um estilo eclético não quer dizer que o quarto deverá ser rebuscado. A simplicidade e a sustentabilidade devem vir à frente, como no exemplo citado acima.

 

Tendência 4: O estado da arte na tecnologia inserida em um quarto

É quase redundante falar de tecnologia. A automação já uma realidade, desta vez entrando nas unidades mais econômicas, visto que seus custos vêm se reduzindo à medida em que as evoluções tecnológicas se popularizam.

Hotéis já estão experimentando com unidades “Alexa” em seus quartos, e chaves e comandos por Smartphones, assim como menus personalizados e pré-determinados passarão a fazer parte do dia-a-dia do hóspede moderno. O quarto “conhecerá” antecipadamente o próximo hóspede a ocupá-lo.

A Kohler lançou recentemente um sistema (Kohler Konnect) que atende o pedido do hóspede/usuário através do Alexa, Google Assistant e Apple Homekit e prepara o banho deste com apenas um comando de voz.

 

Tendência 5: Entretenimento Personalizado

Em 2019, reforçando mais ainda a sensação de “casa”, os hóspedes verão as TVs transmitindo seu próprio conteúdo de assinante de Netflix, Amazon Prime, YouTube e outras plataformas. Ao mesmo tempo, os hóspedes ainda poderão desfrutar da sensação de uma hospitalidade personalizada e amigável.

  

 Tendência 6: Indoor encontra o Outdoor

Uma das tendências de design de hotel mais interessantes a se observar é o direcionamento da experiência ao ar livre para lobbies e corredores de hotéis. O hotel CitizenM da Times Square preconizou isso há mais de cinco anos e, no verão, sua área externa é mais frequentada do que a interna dada a proximidade com o bar do lobby. Hotéis econômicos como o OWN de Buenos Aires também foi um dos pioneiros neste sentido.

Trazer o exterior e a natureza para dentro do lobby é premissa básica para os novos hotéis.

Estamos concebendo um projeto de conversão de um edifício corporativo para hotel e uma grande cascata existente, que não funciona há mais de 10 anos, será reativada para criar este ambiente natural e agradável.

 

Tendência 7: Espaços multifuncionais

Flexibilidade é fundamental nos novos projetos de espaços multifuncionais. No lugar das salas estanques de eventos de hoje, os espaços multifuncionais deverão ter pé direito mínimo de 3,50 m e possibilidades quase infinitas de configurações.

Isso pressupõe muita tecnologia e instalações antes apenas encontradas em projetos com tecnologia “triple A”.

 

Tendência 8: Compromisso com Ecologia

Em 2019, os hotéis estarão mais focados no uso de práticas ambientalmente sustentáveis, desde o uso de materiais de construção naturais e reciclados e/ou recicláveis, até painéis solares e reciclagem de roupas. Veremos mais iniciativas para medir e reduzir as pegadas de carbono e a irradiação por LED, a fim de reduzir o consumo de energia. Falando de design, esta tendência provocará os hotéis a incorporarem mais vegetação viva e luz natural em seus projetos.

 

Tendência 9: Evolução do Lobby

Lembra do “sentir-se em casa”? O lobby será uma extensão da sala de estar, com cantos aconchegantes para pequenas reuniões, onde os hóspedes possam obter alguma privacidade sem se sentirem isolados. Essas áreas receberão mais vegetação natural, com estas podendo servir de anteparo entre os espaços.

Essa importante tendência de design de hotéis já fez com que as cadeias de hotéis atualizassem completamente seus lobbies em ambientes únicos e personalizados.

 

Tendência 10: Integração com o urbano

A partir deste ano, os hotéis assumirão, mais ainda, seu papel de “hub” local.

Atividades multiculturais deverão fazer parte do cardápio de ofertas de entretenimento do hotel e ele passará a ser praticamente um centro cultural e social local, atraindo pessoas da vizinhança. Todos os projetos em andamento no EMDAStudio contemplam bares e academias voltados para a rua. Esta tendência exige acrescentar toques locais ao design do hotel, bem como envolver designers e artistas locais para criar um ambiente único.

 

Tendência 11: O Mini/Micro-Quarto

Da mesma forma que o AirBND pressionou o quarto a assumir uma configuração de “Casa”, os novos Hostels mudaram a configuração da hotelaria principalmente quando falamos dos micro-hotéis, mais “descolados”.

Em função do custo do terreno, o negócio hoteleiro passa a “fechar a conta” e fazer sentido cada vez com quartos menores, de 12 a 16 m2 e em maior quantidade por implantação.

Muitas redes hoteleiras têm hoje produtos “mini” e “micros” para atingir a este tipo de negócio, normalmente olhando para o mercado “Millennial”.

Em novembro a Hilton lançou a marca Motto e acreditamos que se torne um sucesso em um nicho antes dominado pelo Moxy da Marriott e em alguns lugares como o CitizenM e Yotel e até os Ultra Econômicos como os Pod Hotels.

Cabe lembrar que a rede SBE-Morgans Hotel Group, recém adquirida pela Accor, tem em seu portfólio, o interessante Hudson Hotel em New York com áreas comuns generosissimas e quartos mínimos.

Quanto ao F,F & E, hotéis como o Yotel e o Room Mate retornaram com os beliches (também adotados pelo Motto), desta vez mais sofisticados e acredito que esta tendência irá permanecer por mais alguns anos embora que, com o envelhecimento da população, apenas um nicho de mercado deva permanecer com este tipo de produto.

 

Conclusão

 

A indústria da hospitalidade estará evoluindo rapidamente em 2019. Os hotéis terão que encontrar maneiras criativas de atender às altas expectativas dos viajantes modernos, especialmente os “millennials”, que hoje compõem a maioria dos viajantes frequentes e também precisam fazer essas experiências caberem dentro de seus orçamentos.

 

Autoria: Eduardo Manzano e HotelDesigns Forum Events Media Ltd.

 

Leave your comments

Post comment as a guest

0

Comments (812)

Load Previous Comments